6 de maio de 2019

Sesc realiza em maio uma das maiores mostras de cultura do país, Aldeia Palco Giratório

Espetáculos, performances, exposições, debates e oficinas. De 17 a 26/05

Vem aí mais uma temporada de muita cultura em Alagoas: Aldeia Palco Giratório de 17 a 26 de maio, em Maceió. As mostras de arte e cultura irão promover ao público uma programação repleta de espetáculos, performances, exposições, debates e oficinas.

Os ambientes das apresentações e demais atividades serão concentradas entre a Unidade do Sesc Centro, Espaço Cultural da UFAL  e Calçadão do Comércio, de forma diversificada e gratuita, com a participação de grupos e artistas locais e de outros estados.

O evento terá opções para todos os estilos e preferências do público. Serão apresentações de artes cênicas (teatro, dança e circo), música, cinema, artes visuais, literatura, oficinas, debates e pensamento giratório compõem a programação.

As Aldeias realizadas pelo Sesc consolidam-se por todo o país como um dos principais projetos neste segmento, fomentando o fazer artístico e promovendo a oxigenação das produções por meio de debates e demais ações formativas. São momentos que fortalecem a criação, o intercâmbio entre os grupos locais e visitantes, estimulando a fidelização com nossa clientela preferencial e a comunidade em geral ao constituir um espaço de consumo de bens culturais.

Esta iniciativa é uma ação integrada ao Projeto Palco Giratório, voltada para a produção local com o intercâmbio de grupos da circulação nacional. Por todo país as Aldeias contemplam as diversas linguagens artísticas, valorizando a diversidade cultural brasileira incentivando o encontro entre gêneros artísticos.

 Informações 3201-1376 e 0800 2842440 / www.sescalagoas.com.br / app Sesc Alagoas

 PROGRAMAÇÃO

 AÇÕES FORMATIVAS

 Residência Artística “Artistas, Solos e a Grande Jornada” com Alexandre Américo | CE

Público-alvo: artistas de linguagem diversas (20 vagas)

13 a 16/05, 18h às 22h e 18/05, 09h às 13h, Espaço cultural – Praça Sinimbu

As Questões são essenciais a uma jornada artística coerente. Cada artista, em sua trajetória, descobre seus modos de sair da rasura da vida e mergulhar em seu próprio questionamento. As questões nos fazem obter uma melhor compreensão de nossos desejos e anseios, elas viabilizam a tomada de consciência das coisas que nos movimentam.

Esta residência tem como intuito disparar a criação de solos que acontecem simultaneamente em um mesmo espaço-tempo. A temática desta possível obra composta do encontro entre os artistas em solitude trata das questões básicas que se mostram recorrentes aos indivíduos que produzem dança contemporânea em seus próprios contextos imersos no Brasil de hoje.

Oficina “Se eu fosse Iracema: Dramaturgia da luz e o iluminador como artista criador” com Fernando Nicolau | RJ

Público-alvo: Profissionais e estudantes de artes cênicas e artistas, em geral (20 vagas)

25/05, 09h às 18h, Teatro Jofre Soares

A proposta deste encontro é compartilhar detalhadamente a construção da dramaturgia da luz de “Se eu fosse Iracema”. Apresentar a luz cênica como signo e elemento compositor da criação. (Re)pensar o lugar/olhar do iluminador como artista criador.

Pensamento giratório: Fé, Feminismo e Políticas Públicas Culturais.

Público-alvo: Artistas de diversas linguagens e interessados

25/05, a partir das 16h, Musicoteca, SESC Centro

Através das histórias de algumas das santas populares do Cariri propomos uma discussão para além da religiosidade popular, mas, sobretudo, reflexões sobre temas como o machismo, a misoginia, a cultura do patriarcado, a naturalização das pequenas violências, o papel das mulheres no cristianismo, a comercialização da fé em torno dessas santas/mulheres, entre outros temas relevantes e urgentes.

 APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

*As apresentações serão gratuitas. No caso dos espaços fechados as senhas serão entregues uma hora antes de cada apresentação, com limitação conforme acomodações dos espetáculos e espaços.

 MYOCLONUS

Alexandre Américo-RN

Dança / 40 min / Livre

17/05, 19h, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro

Esta obra consiste em intensa investigação de uma maneira de mover/ser/existir no mundo, a partir de um traço que é corriqueiramente tido como impossibilitador da dança. A epilepsia mioclônica juvenil, distúrbio que acomete o próprio bailarino-criador, impulsiona o intérprete na tentativa de expressar o movimento em seu modo mais bruto: o espasmo.

  ABERTURA DA EXPOSIÇÃO “Os Olhos do Jardim”

Coletivo Sementes Bordadas

Artes visuais / Abertura / Livre

17/05, 20h, Galeria de Artes do Sesc Centro

Visitação: 20/05 à 12/07 (segunda à sexta) Horário: 12h às 18h

O SESC Alagoas, apresenta a exposição “Os Olhos do Jardim”, do Coletivo Sementes Bordadas, São 40 obras têxteis, entremeando desenhos, pinturas, bordados e crochês, apresentadas em suportes e dimensões diversas, entre painéis, pedras e folhas, sobrepostas ou contornadas por tramas. As obras foram selecionadas pelos curadores e artistas visuais Alice Barros e Robertson Dorta, que as sinam a expografia e a montagem da exposição.

 OBSCURICENIDADES,

CORPO CÊNICO DA UFAL | AL

Dança / 60 min  / Livre

18/05, 19h30, Espaço Cultural da UFAL, Praça Sinimbu

Obscuricenidades… verbete ausente no dicionário da língua portuguesa, mas que habitou a imaginação dos criadores ao longo do processo. é uma mistura de várias possíveis palavras unidas simbolicamente em uma amálgama sonoro que nada pretende significar, mas apenas nomear essa criação que se materializa como resultado cênico do projeto Corpo-em-Arte: Investigação em Dança; que por sua vez compõe o Progrma de Extensão Corpo cênico – um dos equipamentos Culturais da Ufal.

A MULHER DO FIM DO MUNDO,

Associação Artística Cultural Cia Casa Circo | AP

Dança / 35 min / 14 anos

19/05, 19h30, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

O solo “A Mulher do Fim do Mundo” é um tiro no escuro, e que dentro de um estado reflexivo

uma mulher se depara com a existência de um corpo que respira a cada segundo para se

manter de pé. Neste estado existencialista, estabelece um diálogo visceral e direto do corpo e,

com os corpos, onde através do corpo e do seu discurso, valida a existência desses vários

corpos que atravessa gerações flagelados socialmente.

 PARA MAGNÓLIA,

Clowns de Quinta I AL

Circo / 1 h / Livre

20/05, 19h30, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

“Para Magnólia”, vai mostrar ao público as peripécias do Palhaço Nores em busca de sua ajudante de cena que desapareceu misteriosamente!

 TARJA PRETA

Cia. do Chapéu | AL

Teatro / 1 h / 16 anos

21/05, 19h30m, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

Ela zanza pela casa escura, não tem vontade de muita coisa. Se arrasta, parece assombração, boceja, não sabe se ri ou se chora. Se olha no espelho em busca de respostas…talvez ela saia hoje ou mais tarde. Talvez durma mais um pouco.

MINI CABARÉ TANGUERO

Julieta Zarza | AL

Circo / 50 min / Livre

22/05, 19h30, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

Um fabuloso e variado Cabaré Porteño onde os espectadores mais exigentes poderão contemplar o melhor da dança e da música Rio-Platense. Seria tudo formidável, não fosse um pequeno “porém”: uma mulher  excêntrica  pode aparecer e atrapalhar a cena. Um solo onde manipulação, mágica, humor  e panaquice surpreendem e emocionam a cada instante.

 Baronesa

Cinema / 73 min / 16anos

22/05, 12:30, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

Sinopse: Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com a chuva.

Origem: Brasil

Ano de produção: 2017

Classificação: 16 anos

Direção: Juliana Antunes

 INTERVENÇÃO ARTÍSTICA – GRAFITE

Grafiteiros Alagoanos

Artes Visuais/ 120 min / Livre

23/05, 17h, Bar Panorâmico, Sesc Centro.

Três Artista Alagoanos convidados a intervir artisticamente na paisagem urbana do centro de Maceió, através da técnica do grafite.

 APRESENTAÇÃO, COLETIVO COVIL | AL

Rappers: Arielly Oliveira, Mamiwata, Jany Li e Nick Ellen

Música / 60min / Livre

23/05, 17h, Bar Panorâmico, Sesc Centro.

O Coletivo Covil surge nas trincheiras de Maceió-AL, com a proposta de garantir voz e visibilidade para as mulheres que contribuem direta e indiretamente para a cultura hip hop de Alagoas. Num contexto em que o hip hop se propõe em abordar novos debates e garantir visibilidade para aquelas que historicamente foram invisibilizadas e silenciadas dentro das culturas marginais, o Covil se coloca como um coletivo pensante e atuante para a reeducação dos homens dentro do hip hop.

BATALHA DE BREAK

Cia Hip Hop & QuilomBrothers

Dança / 60 min / Livre

23/05, 18h30min, Teatro Jofre soares, Sesc Centro.

O break é um elemento que compõe o Hip Hop, junto com o rap e o grafite. Ele tem esse nome porque os participantes dançavam nas “quebradas” da música, mais precisamente nas batidas que os Dj”s criavam misturando as faixas do vinil.

SE EU FOSSE IRACEMA,

1COMUM COLETIVO | RJ

Teatro Adulto / 60 min / 14 anos

24/05, 19h30, Teatro Jofre Soares, Sesc cENTRO

“Se eu fosse Iracema” propõe um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação atual. O espetáculo usa referências que vão de mitos e rituais de várias etnias originárias do país a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, muitas vezes negligenciados. O monólogo, primeira pesquisa de linguagem do 1COMUM Coletivo, com atuação de Adassa Martins, dramaturgia de Fernando Marques e direção de Fernando Nicolau, questiona-se: qual a real possibilidade de convivência entre as diferenças?

 MULHERES NA RODA DE SAMBA

Música / 60 min/ livre

25/05, 18h, Sesc Centro

No dia 24 de Novembro de 2018 mulheres sambistas de todo o país protagonizaram o “Primeiro Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba”. O encontro reuniu musicistas, instrumentistas, compositoras, produtoras, fotógrafas,rodas de conversa e apresentações artísticas; tudo produzido por mulheres. O Encontro aconteceu simultaneamente em Maceió e mais nove estados do Brasil

além da capital vizinha Buenos Aires- AR. Após o “Primeiro Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba” que aconteceu simultaneamente em Maceió e mais nove estados do Brasil além da capital vizinha Buenos Aires-AR com o mesmo intuito de fortalecer o movimento das mulheres enquanto protagonistas; as participantes da roda de samba em Maceió, decidiram seguir reunidas e continuar promovendo encontros genuinamente feminino.

AQUELAS – UMA DIETA PARA CABER NO MUNDO,

MANADA TEATRO | CE

Teatro Adulto / 50 min / 14 anos

26/05, 19h30, Teatro Jofre Soares, Sesc Centro.

AQUELAS remonta a história de Maria de Bil, santa popular da cidade de Várzea Alegre-CE, assassinada em 1926 pelo seu “companheiro”, transformada em mártir, e até hoje é ícone de devoção do povo da região. No espetáculo, que mistura a história da santa com pessoalidades das intérpretes, o público é convidado a participar do preparo de um indigesto jantar envolvendo facas, carne, sangue e outros elementos, oferecidos à mesa com os corpos das próprias atrizes/performers. Uma encenação delicada e cruel que apresenta, através de quadros performativos, um caleidoscópio das diversas formas de violência de uma sociedade machista. Bom apetite!

 Informações 3201-1376 e 0800 284 2440 / www.sescalagoas.com.br / app Sesc Alagoas